RANGEL LIMA - Psicólogo, Coach e Palestrante

Artigos



O Verdadeiro Propósito da Liderança

12/06/2020

Você sabe qual é o principal objetivo dos líderes?
Geralmente quando estou treinando líderes, eu costumo pedir para eles me dizerem qual é o conceito de liderança. Em geral as respostas mais comuns são: fazer com que as pessoas busquem um objetivo em comum, despertar o melhor nas pessoas, ajudar a desenvolvê-las, dar direcionamento, ter seguidores, entre outras definições. Todas estão corretas.
 
Eu quero compartilhar com você um conceito de liderança que eu uso para direcionar meu trabalho com líderes. Para mim. Liderança é você formar novos líderes, ou seja, quando mais eu desenvolvo as pessoas e formo novos líderes, mais sucesso e crescimento teremos. Todos ganham com isso. Por isso é fundamental que quem lidera tenha inteligência emocional.
 
Além de entender bem os outros, inteligência emocional envolve ajudá-los a atingir todo seu potencial, principalmente se você ocupa um cargo de liderança. 
 
Faz parte de sua responsabilidade ajudá-los a crescer. Naturalmente, há razões comerciais para isso, como aumento da produtividade, envolvimento e motivação. Isso traz diversos resultados mensuráveis que influenciam no lucro líquido, além de gerar oportunidades para você. 
 
Uma equipe mais competente permite delegar tarefas, liberando você para enfrentar desafios maiores usando sua experiência. Embora você tenha o compromisso de desenvolver o pessoal, é preciso seguir estratégias consistentes. Aqui vão minhas principais sugestões. 
 
Primeiro: conheça sua equipe. Use as estratégias já discutidas em outros vídeos para saber mais sobre seus pontos fortes, habilidades e estilos de trabalho, comunicação, conflitos e liderança. Também é possível conhecer melhor as pessoas por suas observações, interações e discussões. Por isso que o pilar da consciência social é fundamental nesse processo de desenvolvimento da inteligência emocional. Pense no que sabe sobre os valores, experiências, identidade cultural, gatilhos e padrões disfuncionais da sua equipe. 
 
Segundo: ajuste seu estilo de liderança para atender às necessidades das pessoas. Gosto muito do modelo da Liderança Situacional, de Ken Blanchard, apresentado no livro Um Nível Superior de Liderança. Ele defende que é responsabilidade do líder adaptar seu estilo às necessidades do grupo. Você pode avaliar a competência e motivação de cada pessoa e usar um dos quatro estilos para despertar o melhor nelas. Os estilos são direcionamento, orientação, apoio e delegação. 
 
Terceiro: use a investigação apreciativa para despertar o melhor nelas. Nessa técnica, em vez de nos concentrarmos nos pontos fracos das pessoas, damos atenção aos pontos fortes e sucessos. Para usar a investigação apreciativa, pergunte à pessoa ou à equipe sobre seus sucessos ou momentos de melhor desempenho. Depois, analise o que aconteceu de diferente, buscando encontrar formas de replicar esse sucesso em outras realizações. A investigação apreciativa está ligada ao funcionamento do cérebro, acionando seu nível mais alto e dando acesso a todas as suas habilidades. 
 
Quarto: motive e envolva a sua equipe. Existem fatores-chave que motivam e envolvem as pessoas. Os cinco principais são: sentir que seu trabalho faz diferença e é reconhecido. Aperfeiçoar-se por meio de orientação ou treinamento. Ter certa autonomia ou liberdade. Vislumbrar um plano de carreira viável e, talvez o mais importante, confiar nos líderes. Pense em como oferecer isso à equipe. 
 
Quinto: elabore e apoie o plano de desenvolvimento profissional das pessoas. Faça uma análise de desempenho, identifique novas habilidades e competências a serem desenvolvidas. O foco deve ir além de ajudá-las no trabalho atual, preparando-as para futuras oportunidades de liderança. Lembre-se que esse é o principal objetivo.
 
Por isso, observe o próximo nível dos seus colaboradores e comece a preparação meses antes. Pense em designá-los para comissões ou projetos, cursos, conferências e treinamentos dos quais possam precisar e talvez em um mentor, dentro ou fora da organização. Lembre-se de que desenvolver os outros também é bom para você.
 
Uma equipe mais motivada e envolvida tende a ser mais fiel e apoiar seu sucesso. Os altos executivos buscam equipes que se destacam. Eles sabem que isso indica um líder com inteligência emocional, com grande potencial para oportunidades futuras.
 
Por fim, além das razões comerciais, há o fator humano. O trabalho representa grande parte da nossa vida, podendo contribuir para a autoestima nossa e dos nossos liderados. Quero terminar com uma citação inspiradora de Patrick Lencioni, pesquisador e escritor sobre liderança e sucesso das equipes.
 
Diz ele: “No fundo, você deve saber disso. Você pode fazer uma grande diferença na vida do seu funcionário e na das pessoas que gerencia. Dificilmente há outra pessoa no mundo, além de seus cônjuges, com tanta influência no sentimento de realização e tranquilidade dessas pessoas.”
 
Portanto, o mesmo vale para você. Você tem uma oportunidade incrível de desenvolver todas as pessoas que cruzam seu caminho. Não é só uma responsabilidade é uma missão: pense nisso como uma honra.
 
E se você quer ser um líder mais eficaz, tornar-se uma inspiração para sua equipe ou as pessoas que convivem com você, conheça agora o treinamento online que vai potencializar a sua liderança, CLIQUE AQUI e saiba mais.

Autoria: Rangel Lima - Psicólogo, Mentor e Master Coach






topo